Ir para conteúdo

Entre para seguir isso  
Loggie

Crie sua Novela ou Série - Tema: Assassinato

22.330 posts neste tópico

Posts Recomendados

Sonhos da Meia Noite 

 

Edmundo é um jovem rapaz problemático. Ele tem 19 anos e cresceu sendo filho de Carine, uma mãe solteira, tendo que ser obrigado a suportar os inúmeros namorados dela. Na maioria das vezes ele ignorava, fingia não estar machucado. Mas no fundo, seu maior desejo era ter uma família de 'verdade'. Outra vez, Bia, sua prima, tentou se refugiar em sua casa, pois encontrava dificuldades de ficar numa mesma casa que a sua própria mãe, Val. Carine decidiu acolhe-la, mas não demorou muito para que ela ligasse para a sua irmã contando que sua filha estava por lá. As consequências disso seriam devastadoras: Ao chegar lá, Val já demonstrava todo o desprezo que havia para com a irmã mais nova que, na visão dela, tinha se perdido. Uma grande discussão entre os quatro começou, com Bia jogando na cara de Val que sabia que ela traia o pai dela e que por isso que ela havia saído de casa. Para tanto, com tudo aquilo acontecendo, Edmundo não aguentava mais a falta de imposição de Carine. De como ela não sabia dizer não e de como a sua tia, Val, nunca havia ligado para ela ou mesmo para ele e que não via sentido na 'fraqueza' dela e o silêncio pelo qual ela tratava toda aquela situação. Depois suas criticas se voltaram para o fato dela nunca parar com alguém e sempre trazer algum homem diferente para cada o tempo todo e de como aquilo o incomodava. Por fim, revoltado, ele acaba saindo daquela casa para beber e numa rua, próxima de uma rodovia muito pouco movimentada,  enquanto estava meio grogue, ele acaba sendo atropelado por um carro que estava acima da velocidade.

 

O motorista, no entanto, vê o seu corpo e a primeira coisa que ele pensa é em joga-lo numa vala próxima. No dia seguinte, naquela mesma vala, ele acorda, um pouco atordoado e sem saber direito aonde estava. Sem rumo, ele começa a andar em direção a cidade. Ao chegar em uma avenida super movimentada, as pessoas passavam por ele sem percebe-lo, até que uma delas o atravessou. Com muitas dúvidas em sua cabeça, ele pergunta pessoa a pessoa que via em sua frente o que estava acontecendo e onde ele estava afinal. Ninguém responde. Contudo, uma garota um tanto quanto dispersa nota a sua presença e vai até ele para revela-lo que nenhuma daquelas pessoas podiam ouvi-lo, pois ele estava morto. Ela conta também que aquela era a mesma situação dela, só que diferentemente dele, ela era uma Indigente, que havia morrido há muito tempo, sem saber ao certo como, sendo esquecida da memória de todos há tanto tempo que ela nem ao menos lembrava seu próprio nome. E ainda o alertou: Se o corpo dele não fosse encontrado e não tivesse um fim digno, algo que faça ele ser lembrado, aconteceria o mesmo com ele. Ele seria esquecido. E se esqueceria de si mesmo também.

 

A garota sem nome, então, começa acompanhar Edmundo de volta para a casa dele, mesmo que de vez em quando ela se esquecendo quem era ele e se perguntando do porque dele estar seguindo-a. No meio do caminho os dois acabam encontrando uma menina muito nova, que mal havia acabado de sair de sua infância, que dizia estar fugindo de algum tipo de espirito vingativo que por um tempo estava perseguindo-a sem qualquer motivo aparente. Ela disse que não entendia bem o que estava acontecendo e que estava perdida, procurando sua família. Seu nome era Alice. Enquanto isso, a mãe de Edmundo, Carine, extremamente preocupada pelo sumiço repentino de seu filho, inicia uma busca por ele, com a ajuda de seus vizinhos anunciando seu sumiço em jornais. Ela, no entanto, permanecia em sua casa, esperando que uma hora ele voltasse ou que alguém ligasse para ela, dando alguma noticia sobre o paradeiro dele. Com isso, ela se segura no apoio que tem de sua sobrinha, mas ao mesmo tempo ressente a ausência de sua irmã nessa hora tão difícil. Mas Val era uma pessoa orgulhosa, e desde a sua ultima briga com Carine, havia prometido para si mesmo que jamais botaria os pés na casa dela novamente. 

 

Edmundo, ainda um pouco desnorteado, acaba lendo em uma folha de jornal que havia sido jogada no chão, a noticia de que ele está desaparecido e que está sendo procurado. O que da motivação para voltar para a sua casa o quanto antes. Quando ele chega em sua casa ele se despede de Alice e da Indigente.  Vê sua mãe e sua prima conversando sobre de como elas gostariam de ver a família delas unidas novamente. Então Edmundo dá um abraço bem forte em Carine, dizendo que havia voltado e que ela não precisava mais se preocupar. Mas ela não reage. Ele se entristece com isso e acaba voltando para a rua, tentando pensar o que ele teria que fazer para que alguém encontrasse o seu corpo. Ele vai andando até chegar em uma rua familiar. Era onde sua tia Val morava. Ela estava do lado de fora e por algum motivo ela notou a sua presença por lá. Edmundo perguntou se ela conseguia vê-lo e ela disse que sim, mesmo a contragosto de estar conversando com ele. Edmundo revela a ela que na verdade ele esta morto e a principio ela não acredita, até tudo acaba ficando mais claro e ela entende que ele estava falando a verdade. Com isso, Edmundo percebeu que teria que pedir ajuda a única pessoa que ele menos gostaria de pedir e justamente a que ele mais odiava: Val. A aquela altura ela era a única pessoa viva que podia enxerga-lo e ele não podia se ater a seu orgulho. 

 

Enquanto isso, Alice, junto da Indigente, estava a procura de um hospital, ao qual ela lembrava que estava antes de estar naquela situação. Ela tinha quase certeza que lá encontraria alguém que soubesse quem ela era. A Indigente a seguia porque ela sentia que não havia propósito em si mesmo, então ela deveria buscar isso nos outros. Nesse caso, em Alice. Mas nenhuma das duas tinham senso de direção. Uma porque ainda era uma criança e a outra, uma desmemoriada. Enquanto elas andavam, o 'espirito vingativo' ao qual Alice se referia anteriormente continua seguindo-a. No meio do caminho elas acabam passando por uma rua que para a Indigente era muito familiar, ela começou a ter flashes de quem ela era. Poucas lembranças de sua infância e algumas de sua adolescência. E seu nome: Nadine. Relembrando aos poucos quem era, Nadine, acaba se encontrando em uma jornada para descobrir quem ela era, o que fazia, quem eram as pessoas com qual conviviam contigo, deixando um pouco de lado a preocupação de Alice para com o espirito que a perseguia. É revelado posteriormente que Alice na verdade ainda não morrera e que era uma paciente em estado terminal lutando com a morte para sobreviver. A morte, para tanto, é o espirito que a tanto persegue, tentando aos poucos leva-la.

 

Edmundo consegue fazer com que Val vá conversar com Carine, mas as coisas não dão muito certo. As duas começam a discutir com Val diz a ela que seu filho esta morto e que estava conversando com ela. Carine acredita que isso é uma brincadeira de mal gosto que a irmã está fazendo com ela e a expulsa dali. A partir dai Edmundo descobre um outro lado de sua tia que ele nunca havia conhecido. Quando mais jovem ela sempre tinha sido a irmã certa, que fazia tudo certo, dentro das regras, valores e moral de seus pais. Enquanto Carine, sua irmã mais nova, sempre fora mais rebelde e sempre procurou se divertir, mesmo que escondido. Até que um dia, em uma de suas aventuras, ele descobriu que estava grávida. Seu namorado a rejeitou e quando contou para sua mãe, ela disse que não havia criado ela para isso. Val, no entanto, continuava com a sua vontade de ser um exemplo a ser seguido, sempre obedecendo seus pais. Ela acabou casando contra a sua vontade com alguém que ela nunca amou de verdade por conta da pressão de seus pais. Construindo um casamento infeliz que tanto ela quanto seu marido haviam amantes, mas mesmo assim, fingiam não ver. Val começa a desabafar, se lamentando que agora já era tarde para que ela pudesse construir uma vida feliz. Então Edmundo diz: "Eu sempre tive raiva de tudo, sempre quis viver de forma diferente, ser feliz. Mas eu nunca fazia nada para mudar. E eu tive que morrer para pensar na ideia. Você vai esperar a sua hora para começar a pensar nisso também?".  Bia acaba ouvindo o desabafo da sua mãe e com isso se reconcilia com ela. Ela descobre da situação do seu primo e decide ajuda-los e prometendo parar de usar drogas. 

 

Alice acorda de seu coma, deixando Nadine sozinha. Contudo, ela pede para a sua irmã começar uma pesquisa sobre ela. Nadine acaba acompanhando isso de perto. Mas aos poucos suas memórias vão se esvaindo novamente. E então descobrimos que Nadine era uma garota de programa que havia sido expulsa de casa. Foi morta quando alguns rapazes se divertiam com ela. Na época eles justificaram que ela era apenas uma - e o processo contra eles acabou sendo arquivado. E ela? Foi enterrada como uma indigente. Alice pede para que sua irmã encontre o túmulo de Nadine, apesar disso ser quase impossível. O arco da personagem termina quando elas encontram o possível lugar que ela, no qual foi enterrada. No túmulo elas escrevem seu nome.

 

Val reúne toda a família, desde os primos, os tios, os amigos da família, marcando para que todos irem na casa de Carine, pois lá rolaria uma grande reunião da família. Depois de tanto tempo com eles não se encontrando forçando com ela a receba em sua casa. Com isso Val pede desculpa por tudo que aconteceu e tudo pelo que ela fez a Carine. Conta que sempre teve inveja da irmã mais nova e que sempre quis ser como ela. Carine aceita perdoa-la, mas ainda reluta em acreditar que Edmundo está morto. O resto da família se propõe a encontra-lo, considerando que as autoridades não estavam ajudando em nada. Então todos, exceto Carine, vão procura-lo. E então, após finalmente aceitar que seu filho morreu, Carine consegue enxerga-lo. Eles costuram uma linda cena de mãe e filho em um tom de despedida. Quando encontram o corpo dele. Ele some ao som de Epitáfio, dos Titãs. FIM.

  • Amei 3
  • AAAAAA 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
12 minutos atrás, Loggie disse:

Sonhos da Meia Noite 

 

Edmundo é um jovem rapaz problemático. Ele tem 19 anos e cresceu sendo filho de Carine, uma mãe solteira, tendo que ser obrigado a suportar os inúmeros namorados dela. Na maioria das vezes ele ignorava, fingia não estar machucado. Mas no fundo, seu maior desejo era ter uma família de 'verdade'. Outra vez, Bia, sua prima, tentou se refugiar em sua casa, pois encontrava dificuldades de ficar numa mesma casa que a sua própria mãe, Val. Carine decidiu acolhe-la, mas não demorou muito para que ela ligasse para a sua irmã contando que sua filha estava por lá. As consequências disso seriam devastadoras: Ao chegar lá, Val já demonstrava todo o desprezo que havia para com a irmã mais nova que, na visão dela, tinha se perdido. Uma grande discussão entre os quatro começou, com Bia jogando na cara de Val que sabia que ela traia o pai dela e que por isso que ela havia saído de casa. Para tanto, com tudo aquilo acontecendo, Edmundo não aguentava mais a falta de imposição de Carine. De como ela não sabia dizer não e de como a sua tia, Val, nunca havia ligado para ela ou mesmo para ele e que não via sentido na 'fraqueza' dela e o silêncio pelo qual ela tratava toda aquela situação. Depois suas criticas se voltaram para o fato dela nunca parar com alguém e sempre trazer algum homem diferente para cada o tempo todo e de como aquilo o incomodava. Por fim, revoltado, ele acaba saindo daquela casa para beber e numa rua, próxima de uma rodovia muito pouco movimentada,  enquanto estava meio grogue, ele acaba sendo atropelado por um carro que estava acima da velocidade.

 

O motorista, no entanto, vê o seu corpo e a primeira coisa que ele pensa é em joga-lo numa vala próxima. No dia seguinte, naquela mesma vala, ele acorda, um pouco atordoado e sem saber direito aonde estava. Sem rumo, ele começa a andar em direção a cidade. Ao chegar em uma avenida super movimentada, as pessoas passavam por ele sem percebe-lo, até que uma delas o atravessou. Com muitas dúvidas em sua cabeça, ele pergunta pessoa a pessoa que via em sua frente o que estava acontecendo e onde ele estava afinal. Ninguém responde. Contudo, uma garota um tanto quanto dispersa nota a sua presença e vai até ele para revela-lo que nenhuma daquelas pessoas podiam ouvi-lo, pois ele estava morto. Ela conta também que aquela era a mesma situação dela, só que diferentemente dele, ela era uma Indigente, que havia morrido há muito tempo, sem saber ao certo como, sendo esquecida da memória de todos há tanto tempo que ela nem ao menos lembrava seu próprio nome. E ainda o alertou: Se o corpo dele não fosse encontrado e não tivesse um fim digno, algo que faça ele ser lembrado, aconteceria o mesmo com ele. Ele seria esquecido. E se esqueceria de si mesmo também.

 

A garota sem nome, então, começa acompanhar Edmundo de volta para a casa dele, mesmo que de vez em quando ela se esquecendo quem era ele e se perguntando do porque dele estar seguindo-a. No meio do caminho os dois acabam encontrando uma menina muito nova, que mal havia acabado de sair de sua infância, que dizia estar fugindo de algum tipo de espirito vingativo que por um tempo estava perseguindo-a sem qualquer motivo aparente. Ela disse que não entendia bem o que estava acontecendo e que estava perdida, procurando sua família. Seu nome era Alice. Enquanto isso, a mãe de Edmundo, Carine, extremamente preocupada pelo sumiço repentino de seu filho, inicia uma busca por ele, com a ajuda de seus vizinhos anunciando seu sumiço em jornais. Ela, no entanto, permanecia em sua casa, esperando que uma hora ele voltasse ou que alguém ligasse para ela, dando alguma noticia sobre o paradeiro dele. Com isso, ela se segura no apoio que tem de sua sobrinha, mas ao mesmo tempo ressente a ausência de sua irmã nessa hora tão difícil. Mas Val era uma pessoa orgulhosa, e desde a sua ultima briga com Carine, havia prometido para si mesmo que jamais botaria os pés na casa dela novamente. 

 

Edmundo, ainda um pouco desnorteado, acaba lendo em uma folha de jornal que havia sido jogada no chão, a noticia de que ele está desaparecido e que está sendo procurado. O que da motivação para voltar para a sua casa o quanto antes. Quando ele chega em sua casa ele se despede de Alice e da Indigente.  Vê sua mãe e sua prima conversando sobre de como elas gostariam de ver a família delas unidas novamente. Então Edmundo dá um abraço bem forte em Carine, dizendo que havia voltado e que ela não precisava mais se preocupar. Mas ela não reage. Ele se entristece com isso e acaba voltando para a rua, tentando pensar o que ele teria que fazer para que alguém encontrasse o seu corpo. Ele vai andando até chegar em uma rua familiar. Era onde sua tia Val morava. Ela estava do lado de fora e por algum motivo ela notou a sua presença por lá. Edmundo perguntou se ela conseguia vê-lo e ela disse que sim, mesmo a contragosto de estar conversando com ele. Edmundo revela a ela que na verdade ele esta morto e a principio ela não acredita, até tudo acaba ficando mais claro e ela entende que ele estava falando a verdade. Com isso, Edmundo percebeu que teria que pedir ajuda a única pessoa que ele menos gostaria de pedir e justamente a que ele mais odiava: Val. A aquela altura ela era a única pessoa viva que podia enxerga-lo e ele não podia se ater a seu orgulho. 

 

Enquanto isso, Alice, junto da Indigente, estava a procura de um hospital, ao qual ela lembrava que estava antes de estar naquela situação. Ela tinha quase certeza que lá encontraria alguém que soubesse quem ela era. A Indigente a seguia porque ela sentia que não havia propósito em si mesmo, então ela deveria buscar isso nos outros. Nesse caso, em Alice. Mas nenhuma das duas tinham senso de direção. Uma porque ainda era uma criança e a outra, uma desmemoriada. Enquanto elas andavam, o 'espirito vingativo' ao qual Alice se referia anteriormente continua seguindo-a. No meio do caminho elas acabam passando por uma rua que para a Indigente era muito familiar, ela começou a ter flashes de quem ela era. Poucas lembranças de sua infância e algumas de sua adolescência. E seu nome: Nadine. Relembrando aos poucos quem era, Nadine, acaba se encontrando em uma jornada para descobrir quem ela era, o que fazia, quem eram as pessoas com qual conviviam contigo, deixando um pouco de lado a preocupação de Alice para com o espirito que a perseguia. É revelado posteriormente que Alice na verdade ainda não morrera e que era uma paciente em estado terminal lutando com a morte para sobreviver. A morte, para tanto, é o espirito que a tanto persegue, tentando aos poucos leva-la.

 

Edmundo consegue fazer com que Val vá conversar com Carine, mas as coisas não dão muito certo. As duas começam a discutir com Val diz a ela que seu filho esta morto e que estava conversando com ela. Carine acredita que isso é uma brincadeira de mal gosto que a irmã está fazendo com ela e a expulsa dali. A partir dai Edmundo descobre um outro lado de sua tia que ele nunca havia conhecido. Quando mais jovem ela sempre tinha sido a irmã certa, que fazia tudo certo, dentro das regras, valores e moral de seus pais. Enquanto Carine, sua irmã mais nova, sempre fora mais rebelde e sempre procurou se divertir, mesmo que escondido. Até que um dia, em uma de suas aventuras, ele descobriu que estava grávida. Seu namorado a rejeitou e quando contou para sua mãe, ela disse que não havia criado ela para isso. Val, no entanto, continuava com a sua vontade de ser um exemplo a ser seguido, sempre obedecendo seus pais. Ela acabou casando contra a sua vontade com alguém que ela nunca amou de verdade por conta da pressão de seus pais. Construindo um casamento infeliz que tanto ela quanto seu marido haviam amantes, mas mesmo assim, fingiam não ver. Val começa a desabafar, se lamentando que agora já era tarde para que ela pudesse construir uma vida feliz. Então Edmundo diz: "Eu sempre tive raiva de tudo, sempre quis viver de forma diferente, ser feliz. Mas eu nunca fazia nada para mudar. E eu tive que morrer para pensar na ideia. Você vai esperar a sua hora para começar a pensar nisso também?".  Bia acaba ouvindo o desabafo da sua mãe e com isso se reconcilia com ela. Ela descobre da situação do seu primo e decide ajuda-los e prometendo parar de usar drogas. 

 

Alice acorda de seu coma, deixando Nadine sozinha. Contudo, ela pede para a sua irmã começar uma pesquisa sobre ela. Nadine acaba acompanhando isso de perto. Mas aos poucos suas memórias vão se esvaindo novamente. E então descobrimos que Nadine era uma garota de programa que havia sido expulsa de casa. Foi morta quando alguns rapazes se divertiam com ela. Na época eles justificaram que ela era apenas uma - e o processo contra eles acabou sendo arquivado. E ela? Foi enterrada como uma indigente. Alice pede para que sua irmã encontre o túmulo de Nadine, apesar disso ser quase impossível. O arco da personagem termina quando elas encontram o possível lugar que ela, no qual foi enterrada. No túmulo elas escrevem seu nome.

 

Val reúne toda a família, desde os primos, os tios, os amigos da família, marcando para que todos irem na casa de Carine, pois lá rolaria uma grande reunião da família. Depois de tanto tempo com eles não se encontrando forçando com ela a receba em sua casa. Com isso Val pede desculpa por tudo que aconteceu e tudo pelo que ela fez a Carine. Conta que sempre teve inveja da irmã mais nova e que sempre quis ser como ela. Carine aceita perdoa-la, mas ainda reluta em acreditar que Edmundo está morto. O resto da família se propõe a encontra-lo, considerando que as autoridades não estavam ajudando em nada. Então todos, exceto Carine, vão procura-lo. E então, após finalmente aceitar que seu filho morreu, Carine consegue enxerga-lo. Eles costuram uma linda cena de mãe e filho em um tom de despedida. Quando encontram o corpo dele. Ele some ao som de Epitáfio, dos Titãs. FIM.

SOCORRO EU TO MT TRISTE, A HISTÓRIA DA ALICEEEEEEEEEE MEU DEUS

 

pisou demais bicho

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
3 minutos atrás, Sr Jane disse:

SOCORRO EU TO MT TRISTE, A HISTÓRIA DA ALICEEEEEEEEEE MEU DEUS

 

pisou demais bicho

 

Atualizei as definições de drama

aVwkfwB.gif

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 26/07/2018 at 17:50, Loggie disse:

Sonhos da Meia Noite 

 

Edmundo é um jovem rapaz problemático. Ele tem 19 anos e cresceu sendo filho de Carine, uma mãe solteira, tendo que ser obrigado a suportar os inúmeros namorados dela. Na maioria das vezes ele ignorava, fingia não estar machucado. Mas no fundo, seu maior desejo era ter uma família de 'verdade'. Outra vez, Bia, sua prima, tentou se refugiar em sua casa, pois encontrava dificuldades de ficar numa mesma casa que a sua própria mãe, Val. Carine decidiu acolhe-la, mas não demorou muito para que ela ligasse para a sua irmã contando que sua filha estava por lá. As consequências disso seriam devastadoras: Ao chegar lá, Val já demonstrava todo o desprezo que havia para com a irmã mais nova que, na visão dela, tinha se perdido. Uma grande discussão entre os quatro começou, com Bia jogando na cara de Val que sabia que ela traia o pai dela e que por isso que ela havia saído de casa. Para tanto, com tudo aquilo acontecendo, Edmundo não aguentava mais a falta de imposição de Carine. De como ela não sabia dizer não e de como a sua tia, Val, nunca havia ligado para ela ou mesmo para ele e que não via sentido na 'fraqueza' dela e o silêncio pelo qual ela tratava toda aquela situação. Depois suas criticas se voltaram para o fato dela nunca parar com alguém e sempre trazer algum homem diferente para cada o tempo todo e de como aquilo o incomodava. Por fim, revoltado, ele acaba saindo daquela casa para beber e numa rua, próxima de uma rodovia muito pouco movimentada,  enquanto estava meio grogue, ele acaba sendo atropelado por um carro que estava acima da velocidade.

 

O motorista, no entanto, vê o seu corpo e a primeira coisa que ele pensa é em joga-lo numa vala próxima. No dia seguinte, naquela mesma vala, ele acorda, um pouco atordoado e sem saber direito aonde estava. Sem rumo, ele começa a andar em direção a cidade. Ao chegar em uma avenida super movimentada, as pessoas passavam por ele sem percebe-lo, até que uma delas o atravessou. Com muitas dúvidas em sua cabeça, ele pergunta pessoa a pessoa que via em sua frente o que estava acontecendo e onde ele estava afinal. Ninguém responde. Contudo, uma garota um tanto quanto dispersa nota a sua presença e vai até ele para revela-lo que nenhuma daquelas pessoas podiam ouvi-lo, pois ele estava morto. Ela conta também que aquela era a mesma situação dela, só que diferentemente dele, ela era uma Indigente, que havia morrido há muito tempo, sem saber ao certo como, sendo esquecida da memória de todos há tanto tempo que ela nem ao menos lembrava seu próprio nome. E ainda o alertou: Se o corpo dele não fosse encontrado e não tivesse um fim digno, algo que faça ele ser lembrado, aconteceria o mesmo com ele. Ele seria esquecido. E se esqueceria de si mesmo também.

 

A garota sem nome, então, começa acompanhar Edmundo de volta para a casa dele, mesmo que de vez em quando ela se esquecendo quem era ele e se perguntando do porque dele estar seguindo-a. No meio do caminho os dois acabam encontrando uma menina muito nova, que mal havia acabado de sair de sua infância, que dizia estar fugindo de algum tipo de espirito vingativo que por um tempo estava perseguindo-a sem qualquer motivo aparente. Ela disse que não entendia bem o que estava acontecendo e que estava perdida, procurando sua família. Seu nome era Alice. Enquanto isso, a mãe de Edmundo, Carine, extremamente preocupada pelo sumiço repentino de seu filho, inicia uma busca por ele, com a ajuda de seus vizinhos anunciando seu sumiço em jornais. Ela, no entanto, permanecia em sua casa, esperando que uma hora ele voltasse ou que alguém ligasse para ela, dando alguma noticia sobre o paradeiro dele. Com isso, ela se segura no apoio que tem de sua sobrinha, mas ao mesmo tempo ressente a ausência de sua irmã nessa hora tão difícil. Mas Val era uma pessoa orgulhosa, e desde a sua ultima briga com Carine, havia prometido para si mesmo que jamais botaria os pés na casa dela novamente. 

 

Edmundo, ainda um pouco desnorteado, acaba lendo em uma folha de jornal que havia sido jogada no chão, a noticia de que ele está desaparecido e que está sendo procurado. O que da motivação para voltar para a sua casa o quanto antes. Quando ele chega em sua casa ele se despede de Alice e da Indigente.  Vê sua mãe e sua prima conversando sobre de como elas gostariam de ver a família delas unidas novamente. Então Edmundo dá um abraço bem forte em Carine, dizendo que havia voltado e que ela não precisava mais se preocupar. Mas ela não reage. Ele se entristece com isso e acaba voltando para a rua, tentando pensar o que ele teria que fazer para que alguém encontrasse o seu corpo. Ele vai andando até chegar em uma rua familiar. Era onde sua tia Val morava. Ela estava do lado de fora e por algum motivo ela notou a sua presença por lá. Edmundo perguntou se ela conseguia vê-lo e ela disse que sim, mesmo a contragosto de estar conversando com ele. Edmundo revela a ela que na verdade ele esta morto e a principio ela não acredita, até tudo acaba ficando mais claro e ela entende que ele estava falando a verdade. Com isso, Edmundo percebeu que teria que pedir ajuda a única pessoa que ele menos gostaria de pedir e justamente a que ele mais odiava: Val. A aquela altura ela era a única pessoa viva que podia enxerga-lo e ele não podia se ater a seu orgulho. 

 

Enquanto isso, Alice, junto da Indigente, estava a procura de um hospital, ao qual ela lembrava que estava antes de estar naquela situação. Ela tinha quase certeza que lá encontraria alguém que soubesse quem ela era. A Indigente a seguia porque ela sentia que não havia propósito em si mesmo, então ela deveria buscar isso nos outros. Nesse caso, em Alice. Mas nenhuma das duas tinham senso de direção. Uma porque ainda era uma criança e a outra, uma desmemoriada. Enquanto elas andavam, o 'espirito vingativo' ao qual Alice se referia anteriormente continua seguindo-a. No meio do caminho elas acabam passando por uma rua que para a Indigente era muito familiar, ela começou a ter flashes de quem ela era. Poucas lembranças de sua infância e algumas de sua adolescência. E seu nome: Nadine. Relembrando aos poucos quem era, Nadine, acaba se encontrando em uma jornada para descobrir quem ela era, o que fazia, quem eram as pessoas com qual conviviam contigo, deixando um pouco de lado a preocupação de Alice para com o espirito que a perseguia. É revelado posteriormente que Alice na verdade ainda não morrera e que era uma paciente em estado terminal lutando com a morte para sobreviver. A morte, para tanto, é o espirito que a tanto persegue, tentando aos poucos leva-la.

 

Edmundo consegue fazer com que Val vá conversar com Carine, mas as coisas não dão muito certo. As duas começam a discutir com Val diz a ela que seu filho esta morto e que estava conversando com ela. Carine acredita que isso é uma brincadeira de mal gosto que a irmã está fazendo com ela e a expulsa dali. A partir dai Edmundo descobre um outro lado de sua tia que ele nunca havia conhecido. Quando mais jovem ela sempre tinha sido a irmã certa, que fazia tudo certo, dentro das regras, valores e moral de seus pais. Enquanto Carine, sua irmã mais nova, sempre fora mais rebelde e sempre procurou se divertir, mesmo que escondido. Até que um dia, em uma de suas aventuras, ele descobriu que estava grávida. Seu namorado a rejeitou e quando contou para sua mãe, ela disse que não havia criado ela para isso. Val, no entanto, continuava com a sua vontade de ser um exemplo a ser seguido, sempre obedecendo seus pais. Ela acabou casando contra a sua vontade com alguém que ela nunca amou de verdade por conta da pressão de seus pais. Construindo um casamento infeliz que tanto ela quanto seu marido haviam amantes, mas mesmo assim, fingiam não ver. Val começa a desabafar, se lamentando que agora já era tarde para que ela pudesse construir uma vida feliz. Então Edmundo diz: "Eu sempre tive raiva de tudo, sempre quis viver de forma diferente, ser feliz. Mas eu nunca fazia nada para mudar. E eu tive que morrer para pensar na ideia. Você vai esperar a sua hora para começar a pensar nisso também?".  Bia acaba ouvindo o desabafo da sua mãe e com isso se reconcilia com ela. Ela descobre da situação do seu primo e decide ajuda-los e prometendo parar de usar drogas. 

 

Alice acorda de seu coma, deixando Nadine sozinha. Contudo, ela pede para a sua irmã começar uma pesquisa sobre ela. Nadine acaba acompanhando isso de perto. Mas aos poucos suas memórias vão se esvaindo novamente. E então descobrimos que Nadine era uma garota de programa que havia sido expulsa de casa. Foi morta quando alguns rapazes se divertiam com ela. Na época eles justificaram que ela era apenas uma - e o processo contra eles acabou sendo arquivado. E ela? Foi enterrada como uma indigente. Alice pede para que sua irmã encontre o túmulo de Nadine, apesar disso ser quase impossível. O arco da personagem termina quando elas encontram o possível lugar que ela, no qual foi enterrada. No túmulo elas escrevem seu nome.

 

Val reúne toda a família, desde os primos, os tios, os amigos da família, marcando para que todos irem na casa de Carine, pois lá rolaria uma grande reunião da família. Depois de tanto tempo com eles não se encontrando forçando com ela a receba em sua casa. Com isso Val pede desculpa por tudo que aconteceu e tudo pelo que ela fez a Carine. Conta que sempre teve inveja da irmã mais nova e que sempre quis ser como ela. Carine aceita perdoa-la, mas ainda reluta em acreditar que Edmundo está morto. O resto da família se propõe a encontra-lo, considerando que as autoridades não estavam ajudando em nada. Então todos, exceto Carine, vão procura-lo. E então, após finalmente aceitar que seu filho morreu, Carine consegue enxerga-lo. Eles costuram uma linda cena de mãe e filho em um tom de despedida. Quando encontram o corpo dele. Ele some ao som de Epitáfio, dos Titãs. FIM.

Socorroooo,eu não tinha visto antes. Ameeeemeeei 

Elisabeth jhin emocionada 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 03/03/2018 at 17:33, xupalupa disse:

iHDcKcU.png

 

Ilusões

 

Rodada: AO VIVO - Mistério
Formato: Minissérie
Duração: 4 episódios de 35 minutos
Elenco:
Caio - Hall Mendes
Gabrielle - Carol Macedo
Bianca - Daphne Bozaski
Jonas - Pablo Morais
Murilo - Vinicius Wester
Rivaldo - Matheus Abreu

 

Sinopse: Após uma festa na faculdade, Caio acorda em um lugar onde nunca esteve antes. Sem conseguir se lembrar do que aconteceu, ele passa a tentar descobrir como parou lá e o que lhe aconteceu.

 

Episódio 1 - Ao ar livre

  Mostrar conteúdo oculto

 

Episódio 2 - Lembre-se

  Mostrar conteúdo oculto

 

Episódio 3 - Tantos erros

  Mostrar conteúdo oculto

 

Episódio 4 - A suja verdade

  Mostrar conteúdo oculto

 

a trama certa pro momento errado

76th0d8.gifsofro

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

Publicidade

FACEBOOK

×