Esta é a continuação do nosso #EE18 que já está nos trending topics da Cirolândia. Hoje vamos conhecer mais sobre quem os BAIANOS e os CEARENSES escolheram para estarem nas Casas Legislativas em Brasília para nos representar ou nos atacar (desgraçados neste caso).           SENADORES   Jaques Wagner (PT-BA)     Jaques Wagner, na década de 80, foi um dos fundadores do PT e da CUT junto com Lula. Representou a Bahia na Câmara dos Deputados de 1991 a 2003, quando foi convidado por Lula para assumir o Ministério do Trabalho, pasta que ocupou por um ano. Wagner também foi Ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais no primeiro governo de Lula. A vitória de Wagner nas eleições de 2006 para o governo da Bahia foi considerada uma vitória sobre o “carlismo”, a influência de Antônio Carlos Magalhães (ACM) no estado.   Em 2010, ele foi reeleito com quase 64% dos votos válidos no primeiro turno. Seu maior desafio foram as greves da Polícia Militar no estado e a criminalidade. Wagner foi nomeado Ministro da Defesa e, logo após, Ministro-Chefe da Casa Civil do segundo governo de Dilma. Permaneceu no cargo até o afastamento da Presidenta em maio de 2016.   Em 2018, Jaques Wagner foi o coordenador de campanha de Fernando Haddad à Presidência. Segundo reportagem da Folha de outubro, Wagner reconheceu que apostar em Ciro teria sido a melhor estratégia para o PT.   Se dependesse de Jaques Wagner, o PT teria apoiado Ciro Gomes:       Angelo Coronel (PSD-BA)     O segundo mais votado será um estreante no Legislativo federal. O cognome “CORONEL” foi dado por seu pai na infância. Angelo Coronel não é militar e nem está sendo atacado pela @Maria ♀. Foi prefeito do município de Coração de Maria entre 1989 e 1992 quando era do PMDB. Após isso, iniciou sua longa experiência como deputado estadual, primeiramente pelo PSDB, depois pelo PL, passando pelo PP e finalmente reeleito pelo seu partido atual, o PSD. Em 2018, a Folha denunciou que entidades ligadas a Angelo Coronel lucravam com contratos públicos ilegais com a Assembleia Legislativa da Bahia. Enquanto presidente da ALBA, um projeto idealizado por sua esposa, Eleusa Coronel, criou a “Assembleia do Carinho”, com o objetivo de ações sociais.   Wagner e Coronel derrotaram os candidatos com viés mais conservador, Irmão Lázaro (PSC-BA) e Comandante Rangel (PSL-BA).   Entrevista temática de setembro de 2018 a seguir. Coronel criticou as ações políticas da Justiça e do Moro.       Quem aguarda o retorno de Jaques Wagner e a estreia de Angelo Coronel na Casa mais vigiada do Brasil?   Otto Alencar (PSD-BA)   Otto Alencar já ocupou vários cargos políticos no Estado da Bahia, como deputado estadual e vice-governador. Nas votações dos Senado tem o seguinte histórico: votou CONTRA o impeachment de Dilma; votou A FAVOR da PEC do Teto de Gastos; votou CONTRA a reforma trabalhista; e votou CONTRA a manutenção do mandato pelo senador Aécio Neves.     DEPUTADOS FEDERAIS     Pastor Sargento Isidório (AVANTE-BA)   Conhecido por declarações polêmicas na Assembleia Legislativa da Bahia, o deputado estadual Pastor Sargento Isidório vai assumir mandato na Câmara, em fevereiro, na condição de deputado federal mais votado de seu estado.O pastor da Assembleia de Deus e sargento da Polícia Militar diz que não vai integrar duas das mais poderosas frentes parlamentares da Casa, a evangélica e a da segurança pública, também conhecida como bancada da bala. O motivo, segundo ele, é o apoio dado pela maioria dos colegas evangélicos e militares à candidatura de Jair Bozonaro (PSL) à Presidência.   Para o parlamentar baiano, não há como conciliar o discurso de Bozonaro, que contempla o armamento da população e a anistia para policiais que matarem em serviço, com a fé cristã. “Quem lê a Bíblia sabe que Jesus disse 'amai-vos uns aos outros'. Não tem lugar nenhum Jesus dizendo para matar. Tem um bocado de evangélico defendendo isso”, critica.   O pastor diz que tinha ressalvas à candidatura de Fernando Haddad (PT), mas mudou de ideia após conhecer melhor o petista. “Votarei no Haddad, ele não é o homossexual que eu pensava. É casado há 30 anos com a mesma mulher, tem filhos. Tudo que eu pensava foi desconstruído. Procurei ver os vídeos, a gente sabe que é tudo fake news”, justifica.   A relação de Isidório com a comunidade LGBT é conflituosa. Ele se identifica como ex-gay e já afirmou em várias ocasiões que teme recaídas. O pastor condena a LGBTfobia, mas afirma ter uma “luta grande contra a homossexualidade”. “Eu não defendo a cura gay porque fica parecendo que são doentes, eu defendo a libertação, que eu sou exemplo disso. Cada um faz o que quer com seu corpo, só não pode se queixar com Deus. Não pode ser violentado, não podem ser excluídos nem espancados ou mortos, porque são pessoas que têm vida, que pagam impostos, são seres humanos”, afirma.   O militar conta que deixou de ser homossexual há pouco menos de 30 anos. Na época, afirma, era alcoólatra, fazia uso de maconha e “planejava assaltos”. A mudança de vida, segundo ele, veio por meio da religião. “Conheci a palavra de Deus através da Bíblia e passaram as coisas velhas, a Bíblia diz que nenhuma condenação para quem está em Jesus Cristo”, explica. Ele também atribui a cura do HIV à fé, embora nunca tenha feito exame para confirmar se de fato possuía o vírus.       Prof. Dayane Pimentel (PSL-BA)   Foi a quarta deputada federal mais votada na Bahia e única eleita pelo partido de Bozonaro. Antes de ocupar a presidência estadual do PSL na Bahia, Dayane Pimentel foi convidada para ser a vice-presidente na chapa encabeçada pelo então pré-candidato à Presidência da República. Natural de Feira de Santana, professora e com um “passado na esquerda”, o perfil de Dayane caiu nas graças de Bozonaro que gostou da ideia de ter uma apoiadora nordestina. A professora formada em docência no ensino superior ficou conhecida por fazer vídeos no Facebook em favor do político/militar. Sua página com mais de 200 mil seguidores e cerca de 2 milhões de visualizações em publicações apoiando Bozonaro e atacando o PT, coisa que ela faz, segundo um dirigente do PSL-BA, “como ninguém”.      Jorge Solla (PT-BA)   A Bahia elegeu oito deputados federais do PT, e o médico Jorge Solla foi o mais votado deles. Após ocupar pastas estaduais na área da saúde, Solla foi eleito deputado federal nas eleições de 2014, renovando assim seu mandato em 2018. Tem diversas obras publicadas na área de saúde pública.   Em 2016, o STF julgou improcedente uma acusação formulada pelo ex-senador baiano Antônio Carlos Magalhães Júnior (DEM-BA) que apresentara queixa-crime contra o Solla, alegando-se vítima dos delitos de calúnia e difamação supostamente praticados pelo adversário durante entrevista ao site Bahia Notícias.     Quem tem VIVÊNCIA e LUGAR DE FALA? Conhecem esses nomes? Destacam outros eleitos?   @sycasy @Lucas Lopes. @Ian B @Britney Toxica @DAVIIX @Pulse @Daddy Myers           SENADORES   Cid Gomes (PDT-CE)     Irmão de Ciro Gomes (PDT-CE), Cid Gomes é graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e seguiu a tradição política de sua família, sendo eleito deputado estadual (1990 e 1994), Prefeito de Sobral (1996 e 2000) e Governador do Ceará (2006 e 2010). Na Assembleia Legislativa, foi o presidente da casa mais jovem. Nas quatro eleições para o Executivo, foi eleito em primeiro turno com mais de 60% dos votos. No começo de 2005, mudou-se para a capital dos EUA, onde exerceu a função de consultor do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Em 2013, foi listado como um dos 60 nomes mais poderosos do país pelo portal IG.   Diversos projetos tiveram destaque durante a gestão de Cid como governador cearense, como a construção de uma refinaria de petróleo, do Cinturão de Águas, da Companhia Siderúrgica do Pecém, do Cinturão Digital e de ações sociais como o Programa Alfabetização na Idade Certa, também adotado pelo governo federal.   Em janeiro de 2015, foi escolhido pela então Presidenta Dilma para ser Ministro da Educação de seu segundo governo. Porém, em março de 2015, ao prestar esclarecimentos na Câmara dos Deputados sobre declarações feitas de que "a Câmara tinha de 300 a 400 achacadores”, envolveu-se em discussão com o então presidente da Casa, Eduardo Cunha e retirou-se da sessão. Posteriormente, pediu exoneração do cargo de ministro.   Destaque-se que Cid Gomes foi eleito com 3,2 milhões de votos (41,62%), quase 2 milhões a mais do que o segundo colocado. Logo após as eleições, Cid tem participado da articulação de partidos do campo progressista para conter o avanço das pautas conservadores de Bozonaro, do PSL e seus aliados, formando uma oposição não petista que também deve aparecer na Câmara dos Deputados.       Eduardo Girão (PROS-CE)     Eduardo Girão é um empresário cearense que também foi presidente do Fortaleza Esporte Clube em 2017. Foi eleito senador na sua primeira eleição para um cargo eletivo no Ceará, derrotando por uma margem de 0,16% o atual presidente do Senado Eunício Oliveira. Girão é defensor da Lava Jato e tem entre suas propostas a luta contra a legalização do aborto (ele é conhecido como um “líder pró-vida”) e das drogas, o controle de armas de fogo e a diminuição da carga tributária. Declarou ver com “otimismo e serenidade a vitória de Bozonaro” e voltou a defender os valores da família.     Quem aguarda a estreia de Cid Gomes e de Eduardo Girão no Senado em 2019?   Tasso Jereissati (PSDB-CE)   Tasso Jereissati é líder empresarial e ex-governador do Ceará em três gestões: 1987-1990, 1995-1998 e 1999-2002. Após ter exercido o mandato de senador de 2003 a 2010, não conseguiu ser reeleito, o que marcou sua primeira derrota eleitoral. Na condição de uma das principais lideranças nacionais do PSDB, Tasso Jereissati foi presidente nacional do Partido em duas oportunidades: 1991 a 1993 e 2005 a 2007. Nas eleições de 2014, numa aliança com Eunício Oliveira (MDB-CE) conseguiu voltar ao Senado. Em maio de 2017, após os escândalos envolvendo o senador Aécio Neves, Tasso assumiu interinamente a presidência do PSDB e passou a defender um maior distanciamento do governo de Michel Temer. No senado, votou A FAVOR da PEC do Teto de Gastos; A FAVOR da reforma trabalhista; e A FAVOR da manutenção do mandato de Aécio, seu colega de Casa e de partido.     DEPUTADOS FEDERAIS     Capitão Wagner (PROS-CE)   Recém-filiado ao PROS, o capitão da Polícia Militar do Ceará conhecido como Capitão Wagner foi o deputado federal mais votado do estado. Ele segue uma trajetória de vitórias eleitorais para o Legislativo, pois havia sido tanto o vereador (2012) quanto o deputado estadual mais votado (2014) nas ocasiões. No entanto, perdeu as eleições para a Prefeitura de Fortaleza em 2016, mesmo apoiado por PSDB e MDB, para Roberto Cláudio do PDT.   Segundo Capitão Wagner, que conseguiu eleger um Senador da República (Eduardo Girão), outro deputado federal (Vaidon Oliveira) e dois deputados estaduais (Soldado Noélio e Vitor Valin), o PSDB não se engajou como deveria na campanha do General Theophilo contra a reeleição de Camilo Santana.      Luizianne (PT-CE)   Dos três deputados eleitos pelo Ceará do PT, Luizianne Lins foi a mais votada. Jornalista e professora, Luizianne é uma política tradicional do estado e filiada ao PT desde a década de 90. Já exerceu os cargos de vereadora, deputada estadual e foi por duas vezes eleita prefeita de Fortaleza (2005 a 2012). No entanto, nas eleições municiais de 2016, mesmo apoiada por Lula, ficou na terceira colocação. Exercerá pela segunda vez consecutiva o mandato na Câmara federal.     Mauro Filho (PDT-CE)   Dos seis deputados eleitos pelo Ceará do PDT, Mauro Filho foi o mais votado. Filho do político Mauro Benevides, é formado em Economia pela Universidade de Brasília, com doutorado pela Universidade Vanderbilt. Trabalhou no Banco BMC e é professor concursado da Universidade Federal do Ceará. Mauro Benevides Filho atuou na formulação do programa econômico do então candidato à Presidência Ciro Gomes em 2018. A seguir a sabatina de que participou para explicar o plano econômico do Ciro:       Quem tem VIVÊNCIA e LUGAR DE FALA? Conhecem esses nomes? Destacam outros eleitos?             @tony @oceansmooth @Skorpio @Ana Raquel @Little J @luuizhenriquem @José Elder @Arcanjo @Felipe Martins @.BernardoD     Fontes:   https://ultimosegundo.ig.com.br/os-60-mais-poderosos/cid-gomes/51fa91bc59e8bbec29000002.html https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/ciro-era-a-melhor-estrategia-para-ganhar-a-eleicao-diz-jaques-wagner.shtml http://blogs.opovo.com.br/ancoradouro/2018/10/28/vejo-com-otimismo-e-serenidade-vitoria-de-Bozonaro-comenta-o-senador-eleito-eduardo-girao/ https://www.opovo.com.br/jornal/politica/2017/08/apos-vitoria-de-temer-tasso-fica-na-presidencia-do-psdb.html https://www.bahianoticias.com.br/noticia/222415-tiete-de-Bozonaro-baiana-dayane-pimentel-foi-convidada-para-ser-candidata-a-vice.html http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=311096
    • Amei
    16