Ir para conteúdo

Madonna

Membros
  • Total de itens

    4.608
  • Registro em

  • Última visita

  • BCoins

    5,385 [Transferir]

2 Seguidores

Suas Informações

  • Localização
    São Paulo/SP

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

Habilitar
  1. Madonna

    Como peidar sem ninguém saber?

    só tossir junto
  2. Que não seja tão bomba quanto os últimos filmes da franquia.
  3. Don Mancini, o roteirista de todos os filmes do Brinquedo Assassino, confirmou em seu Twitter que haverá uma série de TV da franquia – confira mais abaixo um GIF teaser. O projeto está sendo produzido junto a David Kirschner, que também produziu os filmes da franquia. Mancini informou: “Queremos colocar Brinquedo Assassino no título. Queremos mostrar que iremos fazer uma série mais tensa e violenta do que fora antes. Será muito assustador”. Mancini também contou que a série de TV se passará depois do final de O Culto de Chucky, lançado em 2017. Ainda não há previsão de lançamento para a série [Exclusivo aos membros]
  4. O Facebook é a mais nova empresa a embarcar na onda de conscientização do tempo de uso de tecnologias e deve lançar um novo recurso que informará ao usuário quanto tempo ele passa na rede social. A funcionalidade foi identificada pela engenheira Jane Manchun Wong e reportada pelo TechCrunch. Veja abaixo: Apelidado de "Your Time on Facebook", o recurso mostra quantos minutos por dia o usuário passa usando o site ao longo de uma semana e também indica a média semanal de uso. Também é possível configurar um limite diário de uso e restringir notificações através da ferramenta. Contactado pelo TechCrunch, o Facebook ainda não confirmou quando a função será lançada para todos usuários. Anteriormente a Apple e o Google já anunciaram funcionalidades semelhantes de bem-estar que têm como objetivo conscientizar o usuário sobre seu tempo de interação com plataformas tecnológicas. [Exclusivo aos membros]
  5. 44% dos “usuários gratuitos” da Netflix dizem que donos de contas não sabem O CEO da Netflix, Reed Hastings, já afirmou publicamente que sua empresa não se importa com o fato de clientes compartilharem seus logins do serviço de streaming com outras pessoas, mesmo com aquelas que não moram na mesma casa que elas. A empresa também não impede de forma alguma essa prática, o que criou uma espécie de parasitismo por parte de alguns “usuários gratuitos”. De acordo com uma enquete realizada pelo Exstreamist, 44% das pessoas que usam a conta de outra pessoa para acessar a Netflix dizem que o dono desse login não tem ideia do que está acontecendo. O site afirma que fez uma pesquisa informal com milhares de usuários do serviço de streaming e descobriu que pelo menos 891 dos entrevistados não pagavam para ver séries e filmes, tampouco moravam com a pessoa que pagava por isso. Entre esses “chupins”, 22% usam a conta de seus pais, “20%” a conta de algum amigo, 17% do namorado/a e 13% de um colega de quarto/apartamento. O mais interessante, contudo, é o fato de outros 13% usarem a conta de algum ex-namorado/a. “Meu ex ainda não mudou a senha na minha cara”, disse um entrevistado anônimo ao Exstreamist. Além dos 44% que dizem usar a conta de alguém sem que o dono saiba, outros 22% desse pessoal diz não ter certeza de que a pessoa que paga sabe do que está acontecendo. Pior do que isso é o fato de que algumas pessoas sequer conhece a pessoa que paga pelo serviço. “Não tenho ideia de quem seja a conta da Netflix que eu uso. Acho que um amigo meu que tinha o login de um amigo dele me passou a senha”, disse outro entrevistado anônimo. O Exstreamist, uma publicação especializada em notícias sobre serviços de streaming, não revelou sua metodologia para a realização desta enquete. Por isso, podemos assumir que a pesquisa não foi realizada de maneira científica. Dessa forma, seus resultados, apesar de curiosos, não devem ser levados tão a sério. [Exclusivo aos membros]
  6. O barulho de cachorro nessa música
  7. Serviço de streaming da Apple pode ter assinatura mais barata que Netflix A Apple não esconde que está trabalhando em um serviço de streaming para concorrer com gigantes como Netflix, Amazon, HBO e até a própria Disney. Mas apesar de ter contratado executivos da área e fechado acordos com nomes de peso da indústria, como Oprah Winfrey e Steven Spielberg, pouco se sabe sobre os planos de assinatura que a companhia pretende cobrar. O Recode falou com algumas pessoas próximas ao assunto para tentar entender o projeto da companhia e descobrir as possibilidades. Para começar, a previsão é de que o lançamento do serviço só aconteça em abril ou maio de 2019, isso no cenário mais otimista possível. "Analistas da indústria ouvidos pelo site esperam que a Apple ofereça algumas séries ou programas desse novo serviço gratuitamente para usuários do aplicativo TV." Analistas da indústria ouvidos pelo site esperam que a Apple ofereça algumas séries ou programas desse novo serviço gratuitamente para usuários do aplicativo TV, que vem instalado por padrão nos produtos da companhia. Outros acreditam que a companhia deve combinar o serviço com outros que ela já oferece, como o Apple Music e o Apple Care. Já um executivo em específico, que conversou com a Apple sobre o serviço de streaming, afirmou que a empresa pretende oferecer uma assinatura mais barata que a Netflix. Atualmente, o pacote padrão da Netflix custa US$ 11 nos Estados Unidos e R$ 27,90 no Brasil. Ainda não ficou claro como a Apple vai tentar vender o serviço ou mesmo se ela pretende pagar pelos direitos de séries e filmes para preencher o catálogo enquanto a produção original não for suficiente para atrair novos consumidores. Será preciso aguardar para saber mais detalhes. A Apple não quis comentar o caso. [Exclusivo aos membros] de streaming&utm_campaign=ws-nzn&utm_medium=retention&utm_content=creative.desktop.bold
  8. TecMundo usa e abusa do gestalt em sua nova identidade visual TecMundo, um dos maiores portais sobre tecnologia no Brasil e com um canal no YouTube com mais de 3 milhões de inscritos, apresentou recentemente sua mudança visual e reposicionamento no mercado. A linha editorial já estava sendo remodelada desde o ano passado, e com isso, a necessidade de criar uma nova cara para mostrar de fato essa mudança foi fundamental. O designer responsável pela logo foi o Leonardo Ferreira do grupo NZN. Ele fez questão de explicar um pouco mais sobre o conceito de seu trabalho que está ganhando elogios na web: “Uma das reais forças que eu vejo na logo é a utilização de técnicas como Gestalt e a possibilidade de brincar com o encaixe do símbolo e das letras ‘T + M’, além de mostrar que a informação entregue pelo veículo vai ao encontro do que existe de mais interessante no mundo da tecnologia. Ou seja, mostrar que essa conexão (encaixe) da informação de maior valor deve vir aliada a um somatório da interação entre o usuário e o veículo.” É muito importante notar um foco na relação de informação e interação entre os usuários. Isso se dá por uma segunda leitura do projeto, no qual é visto um balão de conversa na nova marca: “Tanto no contexto de absorção dessas interações com o veículo quanto na possibilidade de dar voz ao usuário, para que ele seja porta-voz de algo em que acredita ou que gostaria de compartilhar sobre o mundo da tecnologia”, destaca Leonardo. [Exclusivo aos membros]

Publicidade

FACEBOOK

×